10
set
Resenha de livro – Nacqua, o Reino Escondido por Cristina de Azevedo
em: Cultura

“Nacqua – O Reino Escondido” é a estreia da brasileira Cristina de Azevedo como autora. Nascida em Foz do Iguaçu, Cristina nos traz a história de um reino subaquático, localizado abaixo das cataratas, onde seres mágicos protegem o mundo contra uma serpente do mal, aprisionada há anos e que, agora, ameaça a humanidade ao ter o portão que a guardava enfraquecido.

nacqua-capa

A narrativa em primeira pessoa é contada por Larissa, a protagonista. Ela é uma mulher de 30 anos que tinha uma vida pacata como humana, até que é engolida pelas cataratas e se descobre como a princesa que todos esperavam no Reino Nacqua – a prometida que irá salvar a todos de M’Boy, uma serpente gigante capaz de promover o fim do mundo.

nacqua-contracapa

Quando li a sinopse, me interessei bastante pelo livro. Ainda mais porque, logo no início, Cristina nos promete uma viagem por Foz do Iguaçu sem sair do lugar. Eu tenho muita vontade de conhecer as cataratas e não tenho dúvidas que se trata de um lugar mágico! Sem contar que valorizo histórias com a minha temática preferida (sereias! rs!) tendo como pano de fundo o Brasil. Fica muito mais especial, né?! Entretanto, não foi bem isso que aconteceu. Os primeiros capítulos começam bem, mas depois a autora cria tantas reviravoltas que acaba se perdendo nos detalhes, sem se aprofundar devidamente em cada um deles. Em várias partes do livro fiquei confusa por causa da tamanha rapidez com que as coisas aconteciam.

A história de Larissa é mesclada com uma lenda regional da serpente M’Boy e o casal de índios Naipi e Tarobá. Como não há explicações sobre a mesma em “Nacqua”, pesquisei na internet e achei um breve resumo sobre o conto no site da própria prefeitura de Foz do Iguaçu:

Muitas lendas indígenas contam a formação do maior conjunto de quedas d’água do planeta. Uma delas diz que os índios caingangues, que habitavam as margens do Rio Iguaçu, acreditavam que o mundo era governado por M’Boy, o deus serpente, filho de Tupã. O cacique da tribo, Ignobi, tinha uma bela filha chamada Naipi. Por causa de sua beleza, Naipi seria consagrada ao deus M’Boy, passando a viver somente para seu culto. Havia, no entanto, entre os caingangues um jovem guerreiro chamado Tarobá, que se apaixonou por Naipi.

No dia em que foi anunciada a festa de consagração da bela índia, quando o cacique e o pajé bebiam cauim (bebida feita de milho fermentado) e os guerreiros dançavam, Tarobá fugiu com Naipi em uma canoa, que seguiu rio abaixo, arrastada pela correnteza. M’Boy ficou furioso quando soube da fuga e penetrou nas entranhas da terra. Retorcendo seu corpo, produziu uma enorme fenda que formou uma catarata gigantesca. Envolvidos pelas águas, os fugitivos foram tragados pela imensa cachoeira. Naipi foi transformada em rocha logo abaixo da cachoeira, fustigada pelas águas revoltas. Tarobá foi convertido em uma palmeira, situada à beira do abismo. Debaixo dessa palmeira existe uma gruta, de onde o monstro vingativo vigia eternamente suas vítimas.

Conclusão: “Nacqua” tem todos os elementos para ser interessantíssimo, mas peca em particularidades. Mesmo assim, por se tratar de uma obra nacional e primeiro livro da autora, nós relevamos e recomendamos a leitura – especialmente para pré-adolescentes, já que a escrita é voltada a esse público. 

Onde comprar?

Vende no próprio site da editora, clique aqui para acessar!

E se você já leu e gostou, não deixe de curtir a página oficial de “Nacqua” no Facebook 😉





Camila Gomes





1
jul
Resenha de livro – A Sereia e o Monge por Sue Monk Kidd
em: Cultura

“A Sereia e o Monge” é um livro de romance/ficção publicado em 2005 da autora Sue Monk Kidd. A obra conta a história de Jessie Sullivan, uma mulher de 40 anos que vive uma vida normal e acomodada de esposa e mãe, até que se apaixona por um monge.

asereiaeomonge_capa

Tudo começa quando Nelle, a mãe de Jessie, corta propositalmente o seu dedo indicador fora. Então, Jessie volta à sua cidade natal, uma pequena ilha na qual ela evitou desde sua formatura na faculdade por causa da tristeza que lhe causava ao lembrar a morte de seu pai, que ocorreu no local quando Jessie tinha apenas 9 anos. O plano era ficar apenas alguns dias para cuidar de sua mãe, mas ao conhecer o monge Irmão Tomás e se deparar com mistérios que acercam o a atitude de Nelle e o falecimento de seu pai, Jessie decide mudar a sua vida pacata por completo e descobrir mais sobre si mesma.

asereiaeomonge_contracapa

Ok, e onde tem sereia nessa história? Na verdade, o livro não fala sobre sereias, mas o enredo gira em torno de uma. Quer dizer, várias. A ilha na qual Jessie nasceu tem como “padroeira” a Santa Senara, que assim como a Santa Murgen, foi uma sereia antes de ser santificada. Na abadia em que Irmão Tomás mora existe uma cadeira dessa santa, em que a população e turistas acreditam ter poderes milagrosos. Ou seja, os cidadãos da pequena cidade – e também quem passa por ela – acabam ficando bem de perto com lendas de sereias e suas figuras.

Além dessas referências (tem muitas outras, as sereias fazem parte da vida de todos os personagens, mas não posso me prolongar senão vira spoiler, rs), a protagonista Jessie acaba se identificando como uma sereia também, mais precisamente a própria Santa Senara. Segundo a lenda, que se difunde um pouco com a dos selkies, a sereia deixava sua cauda escondida para virar humana e ajudar os necessitados. Até que um monge se apaixona por ela e esconde a sua cauda, obrigando-a a ser humana para sempre e viver ao seu lado.

Ou seja, se você quer ler livros sobre sereias em si, procure outro, hehe (temos resenhas de vários aqui!). Independentemente, a leitura é interessante porque aborda o tema sereia – muitas vezes visto como infantil – ao mesmo tempo em que estamos falando sobre o amor entre pessoas com mais de 40 anos, e a busca insaciável pelo eu interior. Pois é, apesar de ter encontrado o livro numa prateleira de livros para crianças (que feio, hein, Saraiva!), é um dos mais maduros que já li.

Minha pequena representação de "A Sereia e o Monge" kkkk

Minha pequena representação de “A Sereia e o Monge” kkkk

E já que mencionamos santas sereias, uma curiosidade: apesar das histórias serem semelhantes e até mesmo originárias do mesmo local, a Santa Murgen e a Santa Senara não tem nada a ver uma com a outra. Enquanto a primeira realmente já foi considerada santa nos Anais Irlandeses, mas posteriormente renegada, a segunda é apenas uma lenda mesmo. A tal cadeira citada em “A Sereia e o Monge” existe de verdade, mas não fica nos Estados Unidos, e sim em Cornwall, na Inglaterra. E se você ficou curioso para ler mais sobre a Santa Murgen, indico fortemente o livro “Quando as Sereias Choram”, de Mirella Ferraz (já resenhamos aqui).

Cadeira da Santa Senara em Cornwall – Pela foto e descrição, não é nada parecida com a do livro de Sue Monk Kidd.

Cadeira da Santa Senara em Cornwall – Pela foto e descrição, não é nada parecida com a do livro de Sue Monk Kidd.

Falando em descrições… Apesar da autora de “A Sereia e o Monge” ser premiada e estar de parabéns pela sua extensa pesquisa para concluir sua obra (ela demorou quatro anos para escrever o livro!), achei que sua narrativa pecou. Demorou alguns capítulos para eu me prender, mas valeu a pena ter dado uma chance. Em se tratando de detalhamentos também deixou a desejar. E olha que sou uma pessoa que detesta aqueles tipos de livros que usam uma página inteira para descrever uma janela, por exemplo. Mas achei que faltaram detalhes sobre os personagens, detalhes que ajudam na imaginação, sabe? Para a minha alegria (e para quem já leu e sentiu o mesmo), existe um filme baseado na obra que nos ajuda nesse quesito!

themermaidchairmovieposter

O longa leva o mesmo nome do livro (que, aliás, em inglês é “The Mermaid Chair”) e foi lançado em 2006 apenas para TV (já passou no Corujão da Globo!). A atriz Kim Basinger é quem dá vida à Jessie. Assista ao trailer abaixo:

Como se trata de um telefilme, é óbvio que não é aqueeeela produção nível Hollywood, né?! Para ser sincera, até estraga um pouco o livro, kkkk. A dica é ler primeiro para depois assistir (ou, então, nem assistir!). Sem contar que algumas coisas se diferem da obra original, mas nada que mude o percurso da história. Há algumas cenas com sereias e é isso que chama atenção. Só acho que tinham que ter caprichado um pouco mais no final!

Ficou curioso? No YouTube tem o filme na íntegra, mas em inglês e sem legenda.

Onde comprar o livro:

>> Saraiva





Camila Gomes





13
jun
Os pincéis Pausa Para Feminices para Maria Margarida
em: Compras

O sucesso foi tanto que o kit completo esgotou em duas horas! Já estamos pensando em fabricar um segundo lote, deve lançar em 90 dias. Então fiquem tranquilas! Ah, e individual ainda tem, ok? Tudo aqui! Reproduzindo o post aqui no Sereismo mais pela resenha mesmo – e também porque a coleção é toda cheia de sereias <3

Confesso que senti um certo frio na barriga ao digitar o título desse post (e olha que nem quando lancei minha coleção de maquiagem me senti assim!). Foi tanto tempo de espera, tantos testes e tanta ansiedade que eu mal acredito que estou finalmente fazendo esse post, que anuncia o lançamento de um projeto que foi desenvolvido em dois anos em parceria com a Maria Margarida. O projeto do meu kit de pincéis, o kit Pausa para Feminices. #ufa #agorafoi!

pincel-pausa-para-feminices-02

O kit conta com 13 pincéis produzidos (manualmente, um por um!) fora do Brasil. Ou seja, eles são nacionais por conta do nome da marca, mas passaram por todo o sistema de impostos pelo qual um produto importado passa. Fora a matéria prima, que é top! A qualidade é excelente, é um pincel profissional.

pincel-pausa-para-feminices-05

pincel-pausa-para-feminices-06

Uma coisa legal desses pincéis (e um dos motivos da demora!) é que eles foram totalmente personalizados de acordo com a carinha do Pausa. Os cabos possuem um tom de turquesa com poá, e neles você encontra uma breve descrição sobre o uso e tipo de cerda (se é sintética ou natural), além do número e logo da marca e do blog. Fofos, né? E achei mais prático, assim ninguém se perde.

pincel-pausa-para-feminices

O tamanho não é nem travel, nem grande. É um meio termo. Pensamos nisso porque os pincéis muito grandes não cabem em muitas nécessaires e bolsas (e às vezes a gente quer levar só uns 2 pra retocar a make, sabe? Meu caso, hehe).

Quem comprar o kit completo leva de brinde a case. Pensamos em algo prático e multiuso. Essa necéssarie é fácil de carregar, compacta e capaz de armazenar bastante coisa (além dos pincéis, claro!). Nem vou comentar sobre a fofura porque sou suspeita (tô apaixonada rs).

pincel-pausa-para-feminices-01

Sobre os modelos temos alguns inéditos que foram pedidos por mim, por isso também a demora. É muito difícil testar um pincel do zero. E cada vez que eu pedia uma modificação demorava um tempão pra ir e voltar (porque como disse, é foi tudo produzido lá fora!).

Além dos inéditos, o kit conta com alguns modelos que já existiam na linha regular da Maria Margarida, os clássicos que eu não consigo ficar sem. Pensei nesse kit de forma completa, tem pincéis super diferentes (dentro do mercado nacional) e outros comuns. Mas essa é a minha combinação dos sonhos, digamos assim, a combinação que eu preciso para fazer qualquer tipo de maquiagem. Não sei se essa é a sua combinação dos sonhos, mas espero que sim (ou que pelo menos chegue perto, rsrsrs).

PINCÉIS DE PELE

pincel-pausa-para-feminices-04

São 6 pincéis para a pele. Vou explicar a função de cada um abaixo:

PPF 10

pincel-pausa-para-feminices-08

O PPF 10 é o que não podia faltar de jeito nenhum. É similar ao F80 da Sigma. Um kabuki de topo reto com cerdas bem macias. Perfeito pra aplicar base. Meu favorito!

PPF 21 – novidade

pincel-pausa-para-feminices-09

O PPF 21 é o famoso duo fiber, mas em vez de fazer o clássico eu pedi um menor, similar ao 188 da MAC. É ótimo para várias coisas: blush cremoso, iluminador, aplicação de pó translúcido e mesmo de base (pra aplicar BB Cream é ótimo, ele dá uma cobertura levinha pra pele, sabe? E ele se encaixa melhor que o grande nos cantinho do rosto, como olheiras e lateral do nariz). Bem macio também!

PPF 18 – novidade

pincel-pausa-para-feminices-10

O PPF 18 é um pincel fofinho bem redondo e pequeno. Ele tem muita cerda e garante precisão na aplicação, mas uma precisão aliada a uma função de esfumar bem boa. Por isso amo pra fazer o contorno do rosto. É meu favorito! Um pincel diferente.

PPF 11

pincel-pausa-para-feminices-11

O PPF 11 é o clássico pincel chanfrado fofinho, o meu favorito para aplicar blush! Ele se encaixa com perfeição nas maçãs. Uso também pro iluminador em pó.

PPF 14

pincel-pausa-para-feminices-12

O PPF 14 é o pincel fofão pra aplicar pó. Essencial em qualquer kit!

PPF 12

pincel-pausa-para-feminices-13

O PPF 12 é um pincel de corretivo. Amo pra corrigir a make, vocês já devem ter visto eu fazendo isso diversas vezes. O legal desse formato é que ele encaixa certinho na região da olheira. Dá pra passar ele sem retirar a sombra. No geral, fui muito incisiva nos formatos, porque gosto de pincel que encaixa mesmo. Faz toda a diferença no tempo que você leva pra fazer a maquiagem, e no acabamento.

PINCÉIS DE OLHOS

pincel-pausa-para-feminices-03

Nos pincéis de olhos meu foco foi oferecer make completa. Do esfumadinho ao cut crease temos 7 modelos. Vamos as funções:

PPF 19novidade

pincel-pausa-para-feminices-17

O PPF 19 é o pincel mais esperado de todos os tempos rsrsrs. Ele tem aquele formato pequeno fofinho, similar ao E36 da Sigma, mas em uma versão melhorada. Ele encaixa ainda melhor no côncavo e na região rente aos cílios inferiores, e tem as cerdas menos molengas (dessa forma pega mais produto!). Xodó!

PPF 20

pincel-pausa-para-feminices-18

O PPF 20 é um pincel de esfumar intermediário. Ele é mais gordinho, porém apenas nas laterais. Ou seja, é uma opção pra esfumar bem o côncavo e canto externo sem subir muito a cor. Em formato é similar ao E25 da Sigma e ao 217 da MAC.

PPF 13 – novidade

pincel-pausa-para-feminices-20

O PPF 13 conclui nossa última etapa do esfumado. Ele é o pincel gordinho oficial. Bem redondo no topo! É ótimo pra fazer aquele detalhe de esfumado que vai sumindo na pele. Ele apaga as marcações, deixa tudo mais suave. Mas por ser muito grande não encaixa tão bem no côncavo, por isso é legal ter os pincéis de detalhes anteriores.

PINCÉIS DE ESFUMAR

pincel-pausa-para-feminices-21

PPF 13 / PPF 20 / PPF 19

PPF 13 X PPF 20

pincel-pausa-para-feminices-22

Na imagem acima dá pra ver que o PPF 20 é mais achatado que o PPF 13!

PPF 17

pincel-pausa-para-feminices-07

O PPF 17 é o pincel lápis. Clássico também! Ideal pra aplicar sombra no cantinho interno ou mesmo para esfumar lápis. Dá pra usar de diversas outras formas, até pra marcar côncavo e escurecer com precisão o canto externo. Gosto também pra clarear a região abaixo da sobrancelha. É um pincel essencial ao meu ver!

PPF 16 – inédito

pincel-pausa-para-feminices-16

O PPF 16 é o pincel firme de aplicação de sombra na pálpebra. Ele tem um tamanho médio que encaixa perfeito (olha eu falando de encaixe de novo, rsrsrs). Similar ao 239 da MAC.

PPF 15

pincel-pausa-para-feminices-15

O PPF 15 é firme porém mais curtinho e largo. É o pincel pra aplicar sombra com precisão rente aos cílios inferiores. Ele também serve pra fazer marcação de côncavo, esfumar lápis e escurecer canto externo. Pincel super legal e ainda muito chatinho de encontrar no mercado nacional. Entendi isso depois de ver a dificuldade que foi pra fabricar. Esse pincel foi o que mais atrasou nosso processo de lançamento, ele sozinho atrasou uns 4 meses o lançamento. Abençoado kkkk!

PPF 22

pincel-pausa-para-feminices-19

O PPF 22 é o pincel chanfrado. O diferencial dele é que é um chanfrado de precisão, pois tem apenas 1 milímetro de espessura. Ou seja, perfeito pra fazer o delineado com delineador em gel. Mas também amo pra corrigir sobrancelha e até mesmo pra aplicar sombra bem rente a linha d’água.

As funções são essas, mas é claro que função de pincel no final das contas quem determina é você, ok?

CUIDADOS
Pincel não tem data de validade, né? Mas é importante cuidar direitinho, especialmente com relação a lavagem. Não lave com água morna porque isso vai ressecar os fios e pode ainda amolecer a cola que gruda o cabo. Opte por água fria e shampoo neutro (desses de criança, sem perfume de preferência!). Uma outra dica é o Higienizador. Eu tenho ótimo na minha coleção com a T.Blogs. Estava esperando lançar meu kit pra resenhar, mas enquanto isso você pode conferir ótimas resenhas no blog da G Flores,Claudinha Stoco e Fabi Santina. Vende ele aqui!

pincel-pausa-para-feminices-23

ONDE COMPRAR?
O Kit está sendo vendido na Taurik nesse link aqui por R$235,90(dá pra dividir em até 6x). São 13 pincéis + case, o que dá em torno de R$18 por modelo(sem contar o valor da case que entra como um brinde no kit!). Os pincéis também serão vendido individualmente, mas os valores variam (no kit compensa mais, não tem jeito!). Ele também vende através de revendedoras por todo o país. O contato é via zap zap 06296938607. Lembrando que, como o kit esgotou em duas horas, já estamos correndo com o segundo lote que deve ser lançado em 90 dias mais ou menos! Mas alguns individuais continuam em estoque.

Espero que verdade que vocês gostem desse projeto. E postem nas hashtags #pincelppf #pausaparafeminices pra eu conferir e dar meu meu like.

Obrigada mais uma vez por todo o apoio e carinho! Sem vocês nada disso seria possível. Obrigada mil vezes obrigada!





Bruna Tavares