17
set
Profissão Sereia

No domingo passado o Hugo Gloss postou uma foto da Hannah Mermaid em seu Instagram e trouxe o assunto “sereia” a tona. A conta da Hannah foi invadida por comentários em português, todos curiosos e maravilhados com a beleza incomum da australiana. Tudo porque ela aparece embaixo d’água portando uma cauda em todas as suas fotos. E isso, obviamente (pelo menos para nós, acostumados com o mundo sereístico rs), se deve ao fato dela ser uma sereia profissional.

profissaosereia_hannah

Pera aí, Camila. Sereia profissional? Isso existe?

Sim! No Brasil já vi até blogs listando essa uma das profissões mais bizarras do mundo. E não é pra menos, afinal no nosso país temos apenas uma sereia reconhecida mundialmente como a primeira sereia profissional brasileira: Mirella Ferraz. Ela, sozinha, quebrou barreiras do preconceito (que, infelizmente, rola muito por aqui com tudo que é considerado diferente demais) e ~mergulhou~ com tudo no seu sonho.

Mirella Ferraz na revista gringa Mermaids & Mithology

Mirella Ferraz na revista gringa Mermaids & Mithology

Lá fora, a profissão é bem mais conhecida e aceita. Exitem milhares de sereias e tritões profissionais que seria até impossível listar todos aqui. A maioria vem dos Estados Unidos e Europa, e pelas minhas pesquisas, nos EUA é necessário até uma licença para atuar na área. Aparentemente (e surpreendentemente) não é necessário ser mergulhador profissional, apesar de eu achar que esse é um fator imprescindível. As mais bem sucedidas conseguem ficar até 3 minutos submersas!

A única coisa em comum entre todos dentro desse cargo são as apresentações. Uma sereia/tritão profissional costuma se apresentar em festas e aquárioso de São Paulo mesmo já recebeu a própria Mirella e até outras sereias, entretanto essas são apenas atletas de balé aquático que fazem performances como sereias por “bico”.

Pois é, a vida de sereia profissional pode se estender por diversas práticas. Algumas delas, além dos shows, produzem caudas e vendem ao público através de lojas virtuais. É o caso da alemã Kat e da Mirella, por exemplo.

profissaosereia_mermaidkat

Mermaid Kat

Outra função praticada pela maioria das sereias é a de ativista. Muitas delas são o que são por amarem o oceano e sua flora e fauna,  então aproveitam a sua ligação com a água e organizam campanhas e outras atividades que podem, de certa forma, ajudar e conscientizar o público a cuidar do meio ambiente.

A Hannah mesmo já fez vários vídeos em campanhas a favor de animais marinhos, como tubarões, e também aparecendo em programas televisivos como o Shark Week. Atualmente ela tem filmado um documentário chamado “Tears of a Mermaid(tradução: “Lágrimas de uma sereia“) no qual o objetivo é mostrar uma jornada dentro da beleza da vida oceânica e olhar de perto o que a humanidade está fazendo para destruí-la. Assista abaixo uma prévia do filme:

Já a sereia Raina foi para o lado da literatura, assim como a Mirella (a Mi é autora de dois romances que já falamos sobre aqui e aqui), e escreveu um livro exclusivamente sobre a sua profissão, intitulado “Fishy Business: How to be a mermaid(em português livre: “Negócio de peixe: Como ser uma sereia“). O prefácio quem assina é Carolyn Turgeon, autora de “Mermaid – Uma reviravolta no conto original(resenha aqui). Espero ansiosa a tradução e venda da obra de Raina aqui no Brasil, haha!

profissaosereia_rainamermaidbook

infografico_sereiaprofissional_byraina

Infográfico feito originalmente pela Raina Mermaid. Traduzido por mim. Clique para ampliar.

Workshops também são validos, mas para isso você deve ser, no mínimo, técnico em imersão. Afinal de contas, você estará lidando com a segurança de terceiros e é ilegal palestrar o que não sabe.

Ah, e a carreira não é só para mulheres, não. Muitos homens também seguem esse sonho e se tornam tritões. Dois exemplos são o bem sucedido Eric Ducharme, que produz as caudas mais famosas e desejadas de toda a internet, e o tritão francês Aden (foto abaixo).

profissaosereia_mermanaden

E aí, se interessou? A Mirella dá a dica para quem quer começar carreira:

“Primeiramente você deve amar água, se sentir muito bem dentro dela, não ter medo de frio, de ambientes escuros ou da profundidade. Tem que amar e respeitar o mar e os animais, isso é essencial. E também, é claro, para quem ama e gosta desse universo, tem que estudar um pouquinho, se interessar pelo assunto e, se possível, treinar a apneia.”

Vale lembrar que ser uma sereia de sucesso não basta ter uma cauda e tirar fotos. É necessário ter noção e experiência avançada em mergulho, afinal sereia tem que mostrar que sabe nadar, não é mesmo?! Mas tomem cuidado antes de treinar tudo por si só, pois não é algo fácil que dá para aprender sozinho. Pelo contrário, aprender com profissionais e se especializar para fazer bonito embaixo d’água é fundamental – tanto para a sua própria segurança como também para não pagar mico.

E se você acha que ser sereia não é a sua ~praia~, mas adoraria ter a oportunidade de ver uma em ação, abaixo tem alguns sites de firmas que oferecem esse serviço, incluindo a venda caudas e até aulas de mergulho – sendo muitas delas mantidas por sereias profissionais conhecidas, como por exemplo a sereia Melissa.

Infelizmente todas são gringas :/ Espero que com a popularidade do Hugo Gloss o seu post sobre a Hannah se torne viral e faça o Brasil e os brasileiros aceitarem melhor o meio das sereias!





Camila Gomes





10
set
Resenha de livro – Deusa do Mar por P.C. Cast
em: Cultura

“Deusa do Mar” é um livro escrito por P.C. Cast e lançado em 2003. Ele é o primeiro da série “Goddess” (em português: “Deusas”) que atualmente já conta com 8 títulos. Entretanto, não se trata de uma série contínua. Cada livro narra a história de uma deusa separadamente, então uma leitura não prejudica a sequência ou pré-sequência da outra.

deusadomar_pccast1

Em “Deusa do Mar” a autora divide em três partes a aventura surreal e mitológica de Christine Canary, uma norte-americana de 25 anos que trabalha na Força Aérea dos Estados Unidos. Em uma noite de lua cheia, já no alto de sua bebedeira, a jovem invoca os poderes da deusa Gaia pedindo para que a trouxesse mais magia em sua vida. O que ela não esperava é que o ritual fosse dar certo e, dois dias depois, após se envolver em um acidente de avião, Chris se vê presa no corpo de uma sereia chamada Ondina, filha da deusa da terra e do deus da água.

Se apaixonar pelo oceano foi fácil para quem tinha uma vida monótona e solitária, ainda mais depois de conhecer um charmoso e gentil tritão. Porém, Chris tem que se esquivar das investidas do irmão de Ondina, que nutre uma paixão avassaladora pela sereia. Para ajudar a filha, Gaia a submete a outro encanto, a levando para o período medieval.

deusadomar_pccast2

Bom, se foi difícil escrever essa sinopse sem parecer uma tremenda confusão, imagina ler o livro inteiro! Apesar de P.C. Cast ter muitos fãs mundo afora pelas suas obras, achei a sua narrativa bem atrapalhada, deixando muitas perguntas sem respostas no final do livro. Tudo bem que esse foi o único trabalho dela no qual tive contato e pode ser uma exceção, além de ser um livro traduzido, mas havia partes em que eu não sabia mais onde estava por conta da fraca descrição.

Outra coisa que me incomodou foi o fato da autora achar que poderia escrever qualquer coisa só por se tratar de um livro sobre sereias. Concordo que o assunto já foge da realidade naturalmente, mas não é por causa disso que pode extrapolar e inventar situações mirabolantes demais até se não tivesse ser mitológico nenhum na história!

Por outro lado, o último capítulo me surpreendeu. Eu já estava sem esperanças de dar uma opinião positiva depois de ler tanta coisa sem noção e ao saber o final de certos personagens, mas o desfecho da protagonista me agradou deveras, pois foi algo que eu não esperava.

Conclusão: se você quer ler livros sobre sereias, não comece por “Deusa do Mar”! Ele pode servir como passatempo, mas não como referência. Ah, lembrando que a obra não é indicada para menores de 16 anos por conter bastante cenas picantes (acho válido ressaltar isso, porque muita gente acaba remetendo contos de sereias a romances pré-adolescentes, o que nem sempre faz sentido).

deusadomar_pccast3

Super coincidência eu ter um colar com a mesma descrição! kkkk

E vocês, já leram a obra? Concordam ou não com a resenha? Dê sua opinião nos comentários também :)





Camila Gomes





28
ago
Uma sereia de verdade na Bienal do Livro!
em: Cultura

Já pensou em conhecer uma sereia de verdade em terra firme? Melhor ainda quando ela é, além de sereia, uma escritora super talentosa, né?!

Estamos falando de Mirella Ferraz, a primeira e única sereia profissional brasileira. Como autora, Mirella já assinou duas obras: “Sereias – O Segredo das Águas” (resenha aqui) e “Quando as Sereias Choram”.

bienalmirella01

Esse último, lançado no mês passado, está sendo destaque na Bienal do Livro em São Paulo. A sereia esteve presente no stand da Editora Novo Século no fim de semana passado, onde distribuiu autógrafos e tirou fotos com seus fãs.

A boa notícia é que sua aparição se estenderá por essa semana e, dessa vez, será mais do que especial. Amanhã, dia 29, ela estará novamente no local em sua verdadeira forma, exibindo a sua bela cauda de sereia! A sessão será das 11h às 16h, e se por algum motivo você não puder ir, não se preocupe porque a Mirella marcará presença no sábado também 😀

Você não vai querer perder essa, vai?! Eu tive a oportunidade de conhecê-la na semana passada e posso garantir que vale a pena, pois além de linda, ela é a simpatia em pessoa! Foi uma honra ter seus livros que eu tanto gosto autografados! E falando neles, se você gostou do primeiro, vai amar o segundo! Ambos são diferentes um do outro e as narrativas não tem ligação, mas se passam no mesmo universo. A Mirella estudou por dois anos o período medieval para escrever esse romance encantador com tanto carinho para nós. Nele, ela reconta em sua maneira a bela lenda irlandesa da Santa Murgen, uma figura divina retratada como sereia e negada pela Igreja Católica.

bienalmirellaeu

Deve ser muito difícil elaborar um livro sobre sereias sem que ele pareça infantil ou muito fora da realidade, mas a Mirella consegue fazer isso com a mesma facilidade em que mergulha com a sua cauda! Ah, e lembrando que o prefácio de “Quando as Sereias Choram” foi escrito por ninguém menos que Bruna Tavares, a responsável pelo Sereismo e Pausa Para Feminices. Em breve ela postará uma resenha super especial em ambos os seus blogs 😉

quandoassereiaschoram

Partiu Bienal? Se você for, não esqueça de contar pra gente a sua experiência 😀





Camila Gomes