4
set
Campanha para o livro Mermaids Of Earth

O dinamarquês Philip Jepsen, inspirado pela história vinda de sua terra natal, A Pequena Sereia, resolveu criar um livro com imagens de estátuas de sereias ao redor do mundo, mas para lança-lo, ele conta com a ajuda de amantes de sereias de todo o globo.

mermaidsofearth_livro

Mermaids Of Earth reúne belíssimas fotos de 160 estátuas de sereia, juntamente com fatos e lendas. Todos que ajudarem com o projeto irão receber uma cópia até dezembro desse ano. Faltam 14 dias para a campanha terminar, então se você quiser um exemplar, é só acessar a página do livro na plataforma Kick Starter e colaborar com qualquer quantia a partir de 5 dólares.

Acapulco, Mexico

Acapulco, Mexico

Anfitrite em Grand Cayman Island

Anfitrite em Grand Cayman Island

Escocia (Foto por Astra Bryson)

Escocia (Foto por Astra Bryson)

Lituania (Foto por Gareth Parkes)

Lituania (Foto por Gareth Parkes)

Yemanja em Barra Velha (Foto por Elaine Schug)

Yemanja em Barra Velha (Foto por Elaine Schug)

O livro já conta, também, com um site oficial montado pelo autor, onde ele reúne várias outras informações sobre sereias, como uma lista de lugares onde podemos encontrar estátuas de sereias, loja de caudas e acessórios, poemas e arte.

Jeju Island, Coreia do Sul (Foto por Cheryl Chan)

Jeju Island, Coreia do Sul (Foto por Cheryl Chan)

Praia da Sereia, Vila Velha (Foto por Walter Rozindo Jr)

Praia da Sereia, Vila Velha (Foto por Walter Rozindo Jr)

Songkhla, Tailândia

Songkhla, Tailândia

Réplica da estátua A Pequena Sereia da Dinamarca em Brasília (Foto por Eric Royer Stoner)

Réplica da estátua A Pequena Sereia da Dinamarca em Brasília (Foto por Eric Royer Stoner)

Achei interessantíssima essa iniciativa que borbulha cultura, e tô torcendo para que o autor consiga lançar a obra – que, por sinal, já arrecadou mais de 10 mil dólares; restam, então, 15 mil para alcançar a meta. Vamos ajudar? 😀

Aproveitando, relembre os posts que já fizemos sobre lugares com monumentos de sereia:





Camila Gomes





23
jun
Resenha de livro – Ariel e a Pérola da Sabedoria por Paul Ruditis
em: Cultura

Ariel e a Pérola da Sabedoria é um livro escrito por Paul Ruditis lançado esse ano com o selo Disney, ou seja, podemos considerar a história como oficial. No Brasil o título foi publicado pela Editora Universo dos Livros.

arieleaperoladasabedoria_capa

A narrativa, escrita em terceira pessoa, conta uma aventura da nossa princesa preferida e se passa antes dos acontecimentos do filme original. Eu logo concluí que é como se fosse um episódio do seriado A Pequena Sereia que passou no Disney Channel de 1992 a 1994.

thelittlemermaidsries_intro

No livro, Ariel conhece uma sereia misteriosa chamada Nyssa de uma maneira nada convencional, mas a curiosidade da ruiva a faz construir uma amizade com ela. Então, as duas, acompanhadas de Linguado, partem para uma caça ao tesouro, com direito a muitas pistas espalhadas pelo oceano e até perseguição de seres marinhos perigosos. No final da jornada, as personagens aprendem lições significativas para toda a vida.

arieleaperoladasabedoria_contracapa

Como vocês podem imaginar, é uma obra totalmente voltada ao público infantil, mas apesar disso contém elementos que podem instigar a curiosidade do leitor, independente da idade. A história é bem leve e o final é bobinho, porém não previsível. Recomendo para o público alvo, afinal pode ser um ótimo incentivo a leitura para crianças.

Onde comprar?





Camila Gomes





19
jan
As sereias do mundo de Harry Potter

J.K. Rowling criou um universo mágico inteiro, cheio de criaturas fascinantes, mitológicas, lendárias, e as sereias não poderiam ficar fora. Recentemente, para alegria de todos os Potterheads (incluindo eu mesma), foi lançado nos cinemas a narrativa de Newt Scamander.

newtscamander

Newt Scamander é o autor de “Animais Fantásticos e Onde Habitam” na saga principal. Ou seja, o personagem é o responsável por algumas informações dos sereianos pertencentes ao mundo mágico mais famoso da Terra. Vamos conhecer? Coloca a sua capa, pega a sua varinha e vem comigo!

ANIMAIS FANTÁSTICOS

Em seu livro, Newt dividiu os sereianos em três subespécies:

  • Sirens – As nossas belas sereias famosas em nossa literatura, originadas na Grécia.
  • Selkies – São os sereianos da Escócia e também a espécie que habita o Lago Negro de Hogwarts.
  • Merrows – São considerados os menos belos com uma aparência mais próxima dos peixes. Eles são comuns na Irlanda.
Merrows no mundo de Harry Potter

Merrows no mundo de Harry Potter

O primeiro grande dilema do mundo bruxo em relação aos animais era dividir o que era “ser” e o que era, de fato, um animal. A primeira tentativa foi no século XIV, quando o Conselho Bruxo definiu como “ser” todo membro da comunidade mágica que caminhasse em duas pernas. Isso deu uma tremenda confusão, pois o salão de encontro lotou de criaturas bípedes que não estavam tão interessadas nas regras do governo bruxo.

A segunda tentativa foi a declaração de Madame Elfrida, que definiu como ser todo membro capaz de falar a língua humana. Os centauros, que outrora foram considerados animais, agora eram seres, mas se recusaram a comparecer ao conselho como protesto, pois como os sereianos tinham uma linguagem própria, o serêiaco, ainda se encontravam na categoria de animais.

Somente em 1811 que o Ministro da Magia definiu como ser toda criatura dotada de inteligência. Contudo, os sereianos rejeitaram essa condição e decidiram que administrariam seus negócios independentemente dos bruxos.  Por esse motivo, seus hábitos e costumes são um mistério, embora eles saibam que existam comunidades organizadas.

ONDE HABITAM?

Com a caça às bruxas que se deu na Idade Média, os bruxos decidiram se reunir para decidir quais criaturas mágicas deveriam ser escondidas dos trouxas (os humanos comuns). Os sereianos foram persuadidos a participar e fazem parte das 27 espécies que foram ocultadas (isso explica muita coisa). Há milhares de lagos com sereianos lotados com feitiços anti-trouxas, além das áreas impermeáveis que não podem ser traçadas em mapas.

“Onde ouvir da nossa voz o tom

Na superfície não há som.

Durante uma hora deve buscar,

E o que quer vai encontrar”

Canção serêiaca – Filme Cálice de Fogo – 2005

Na saga principal, onde Harry Potter é o protagonista, os sereianos aparecem no livro Cálice de Fogo, na segunda tarefa do torneio tribruxo. Após abrir o ovo conquistado na primeira tarefa embaixo d’água, Harry Potter conseguiu desvendar a pista ao olhar para a sereia no vitral do banheiro dos monitores.

harrypotter_calicedefogo

Preocupado em respirar embaixo d’água, Harry encontrou sereias (Selkies), muito diferente das que estava habituado a encontrar.

“Os sereianos tinham peles cinzentas e longos cabelos desgrenhados e verdes. Seus olhos eram amarelos, como seus dentes quebrados, e eles usavam grossas cordas de seixos no pescoço. Lançaram olhares desconfiados quando Harry passou. Um ou dois saíram das tocas para examiná-lo melhor, seus fortes rabos de peixe prateados golpeando a água, as lanças nas mãos.”

Na versão cinematográfica, os produtores do filme usaram aspecto de peixe por todo o corpo dos sereianos. A expetativa era criar uma criatura ameaçadora, então houve a mescla da figura humana com esturjão, priorizando os olhos esbugalhados e a boca protuberante. O rabo dos sereianos apresentam uma nadadeira dorsal e outra pélvica. A movimentação, ao contrário de sereias convencionais, não é de cima para baixo e sim de um lado para o outro, fazendo que com os sereianos permaneçam em uma posição vertical. O resultado é assim:

sereianos01

A flutuação dos cabelos foi pensada usando o comportamento de anêmonas-do-mar transparentes.

sereianos02

Harry descreveu a líder dos sereianos como uma fêmea de aspecto feroz e selvagem, quando ele a observou conversando com Dumbledore a beira do lago. Dumbledore era um dos bruxos que sabia falar serêiaco e aparentemente era muito respeitado pela comunidade dos sereianos.

Dentre as adptações para os filmes, o corte de cena que mais gerou protesto foi quando os fãs souberam da ausência do velório do diretor de Hogwarts no sexto filme da saga. Era um dos momentos que mostrava o luto do mundo bruxo e esse luto também se estendeu para os habitantes do lago do castelo.

“Então ele os viu nas águas verdes banhadas de sol, a centímetros da superfície, lembrando-o aflitivamente dos Inferi; um coro de sereianos cantava em uma língua que ele não entendia, seus rostos pálidos ondeando, seus cabelos arroxeados boiando à volta. A música deixou arrepiados os cabelos na nuca de Harry, embora não fosse desagradável. Falava muito claramente de perda e desespero. Ao olhar os rostos ferozes dos cantores, o garoto teve a sensação de que os sereianos, pelo menos, lamentavam a morte de Dumbledore.”

Sabemos que a saga de Harry Potter já teve seu fim, mas sabemos também que há muito no mundo bruxo ainda a ser explorado por J.K. Rowling. Será que em sagas futuras saberemos mais sobre as sereias do universo Harry Potter?

Observações: Em lendas do nosso mundo real, os termos Selkies, Merrows e Sirens também são conhecidos, denominados para espécies semelhantes a sereias. Saiba mais clicando aqui e aqui.

Por Camila Piccini