12
jul
Melusina e a lenda dos Nixes

Melusina é uma personagem do folclore europeu representada por um ser metade mulher, metade peixe ou serpente. Em alguns contos é retratada tendo até duas caudas, asas e coroa, muitas vezes sendo mencionada como uma nixe – espírito de forma humana que vive em rios, lagos e cachoeiras, e que pode se apresentar de várias maneiras, como figura de sereias, animais e até objetos inanimados. Quando lhes convém, esses seres podem até se casar com meros mortais e gerar filhos híbridos, mas geralmente não costumam ser bondosos, afogando os humanos que passam por eles. Segundo o mito, para perceber se um homem é um nixe, basta notar se ele usa chapéu vermelho e jaqueta úmida. No caso de mulher, ela estará usando meias vermelhas e a bainha de sua saia estará molhada. E quando alguém é morto por um nixe, a vítima fica com manchas azuis pelo corpo.

A lenda mais conhecida sobre a Melusina vem da França. Há muitas variações da história, mas é mais ou menos assim:

“Certo dia Elynas, o Rei de Albany, saiu para caçar e conheceu uma fada na floresta chamada Presina. Encantado com sua beleza, Elynas a pede em casamento, mas Presina só aceita sob uma condição: a de que ele não deveria vê-la dando a luz e nem banhando a sua cria. Quando o casal teve suas trigêmeas, Elynas violou a promessa e, então, Presina fugiu com suas três filhas – Melusina, Melior e Palatina – para Avalon. Ao completar 15 anos, Melusina, a mais velha delas, descobriu a traição do pai e resolveu se vingar. Ela e suas irmãs sequestraram Elynas e o trancaram numa montanha. A mãe das garotas fica irada ao saber o que elas tinham feito e, como punição, dá a Melusina a forma de uma serpente da cintura para baixo, todos os sábados.

Mais tarde, Melusina conhece um rapaz chamado Raymond e, assim como aconteceu com seus pais, Raymond a pede em casamento e Melusina diz que aceita, contanto que ele não a veja aos sábados. O casal dá a luz há algumas crianças deformadas e, em uma noite de sábado, Raymond quebra sua promessa e espia sua esposa no banho. Ele, então, vê que ela possui uma cauda de serpente e a culpa por ter difamado sua família e sua linhagem. Melusina, irada, o abandona e seu espírito começa a voar anunciando morte e chorando quando uma tragédia está para acontecer.”

bookofmelusine

Ilustração da obra de Jean d’Arras, Le livre de Mélusine (O Livro de Melusina), 1478.

Por causa de sua essência guerreira, Melusina é vista em alguns brasões da Escandinávia e do Sacro Império Romano-Germânico.

Outro “brasão” famoso que provavelmente contém uma Melusina é dos tempos modernos mesmo. Todo mundo já reparou que a “mascote” de uma das maiores franquias de café do mundo, a Starbucks, é uma sereia de duas caudas. Seu desenho já mudou duas vezes com o passar do tempo, até ser como o que conhecemos hoje em dia. O primeiro deles é baseado numa ilustração do século 15. Olha só:

starbucks_logo

Por ter duas caudas e usar uma coroa, seria a sereia do Starbucks a Melusina? As semelhanças visuais entre as duas são óbvias, não dá pra negar. De acordo com o site oficial da marca, a sereia foi escolhida para compor o logotipo porque o cheiro do café encanta as pessoas como o canto de uma sereia.

Ilustração de uma Melusina || Campanha publicitária do Startbucks

Ilustração de uma Melusina || Campanha publicitária do Starbucks

Se a Melusina é um espírito das águas, uma nixe, uma sereia, uma serpente? Se o símbolo do Starbucks é uma Melusina ou uma sereia? Não temos como ter certeza, mas o modo como as histórias se conectam, já é suficiente para nos hipnotizar… E é o que essas criaturas são acostumadas a fazer mesmo <3





Camila Gomes





25
mar
A lenda dos Selkies

Ontem a Patrícia citou em seu post os selkies. Como sei que pode ter gente que não é muito familiarizado com esses seres, achei que seria interessante contar sobre essa lenda aqui :)

Selkies são como se fossem primos das sereias. Eles são criaturas mitológicas provenientes de lendas Irlandesas e Escocesas e normalmente suas histórias são tragédias românticas. Quando estão no mar, são vistos como focas, mas quando vão à terra, são capazes de se transformarem em belos e encantadores seres humanos. 

Para acontecer a transformação, eles apenas tiram a sua pele de foca e depois a colocam novamente. De acordo com o mito, o humano que se apaixonar por um selkie tenta roubar a sua pele de foca e escondê-la, pois assim é uma garantia dele nunca mais volta ao mar. Roubar a pele de um selkie é o mesmo de tê-lo em seu poder.

Os selkies sentem muita falta do seu verdadeiro lar, por isso irão fazer de tudo para encontrar a sua pele, caso alguém a roube, por mais apaixonado que esteja. E ao achá-la, irão fugir imediatamente. Quando ocorre do casamento gerar filhos humanos, os selkies podem voltar vez ou outra para a superfície exclusivamente para visitá-los.

Existem muitos contos sobre esses seres, cada um vindo de uma região diferente com uma característica única. Se quiserem ler mais a respeito, sugiro conferir esse post aqui do blog da sereia brasileira Mirella Ferraz. Além disso, como a Patrícia já havia falado, também existe um filme com o Colin Farrell baseado nessas lendas chamado “Ondine”, de 2010.

ondine_poster

O que acharam dos selkies? Já conheciam? Querem ver mais lendas por aqui? Deixem suas opiniões nos comentários! :)





Camila Gomes