23
jun
Resenha de livro – As séries “Sereia” e “Watersong”
em: Cultura

Eu ia escrever uma resenha para cada livro, mas eles são tão parecidos que resolvi falar de suas diferenças e semelhanças num post só.

Estou me referindo as séries “Sereia”, de Tricia Rayburn, e “Watersong”, de Amanda Hocking.

A trilogia “Sereia” é composta por três livros: “Sereia”, “Encanto” e “Profundezas”, sendo o primeiro lançado em 2010. Já a saga “Watersong”, lançada em 2012, é um pouco mais longa e conta com um livro a mais, sendo que apenas os dois primeiros foram lançados no Brasil: “Despertar”, “Canção do Mar”, “Tidal” e “Elegy” (os dois últimos ainda não tem título em português definido).

trilogiasereia_triciarayburn_sereismo

sagawatersong_sereismo

Ao ter contato com os primeiros livros de ambas as séries é meio que impossível não perceber que uma foi inspirada na outra. As duas contam a história de uma adolescente que vira sereia contra a própria vontade e que, depois da transformação, têm que juntar forças para encarar a nova e assustadora realidade.

Em “Sereia” a protagonista é Vanessa, uma garota de 17 anos que perde a irmã mais velha, Justine, em um suposto acidente. Justine sempre havera sido a fortaleza de Vanessa, que até então se mostrava uma garota medrosa e via na irmã a sua melhor amiga. Para investigar a morte da irmã, ela conta com a ajuda de seu vizinho e amigo de infância Simon, e acabam descobrindo um sentimento mais forte, até então adormecido, entre os dois. Entretanto, o que parecia ser uma busca sobre o que havia realmente acontecido com a sua irmã, Vanessa acaba descobrindo mais sobre si mesmo do que gostaria.

contracapa_triciarayburn_sereiaserie

Em “Watersong” lemos a história de Gemma, uma nadadora profissional de 16 anos que se vê superprotegida pela irmã mais velha, Harper. Apesar disso, a vida de Gemma não poderia estar melhor – sua futura e promissora carreira como nadadora ia de vento em popa e ela acabara de começar um relacionamento com seu vizinho Alex. Porém, ao cruzar o caminho com as misteriosas Penn, Thea e Lexi, sua vida dá uma reviravolta e, agora, sua única preocupação é descobrir como sair viva da situação que se encontra.

contracapa_amandahocking_despertar_cancaodomar

Bom, só de ler as sinopses já vemos um monte de coincidências. As vidas de Vanessa e Gemma são praticamente iguais e, com tanta coisa em comum, eu tenho certeza que elas seriam grandes amigas se se conhecessem, rs. Uma das poucas diferenças é a personalidade dessas personagens: enquanto Vanessa só aprende a ser autoconfiante após sua transformação, Gemma sempre fora uma garota destemida e determinada.

O que torna uma série distinta da outra é que, enquanto em “Watersong” a partir do segundo livro temos mais ação e o paralelo entre a vida de Harper e Gemma vivendo separadamente, em “Sereia” tudo começa a ficar bem monótono e repetitivo.

Ambas as sagas retratam as sereias como seres do mal e (infelizmente) eu só posso falar com convicção sobre os livros de Tricia Rayburn, pois já os li por inteiro, enquanto os da Amanda Hocking estou aguardando ansiosa pelo lançamento dos últimos. O que posso concluir é que os livros de Tricia tem uma escrita mais madura, porém se perde um pouco no que deveria ser o tema principal da história. A começar que as sereias não tem cauda, são apenas mulheres que conseguem respirar debaixo d’água e que precisam matar homens para se manterem bonitas e saudáveis. Na minha opinião, apesar de parecer um detalhe bobo, isso foi crucial para eu dar um ponto negativo.

Por enquanto, estou adorando “Watersong” e mal posso esperar para ler o restante. A linguagem usada é bem mais informal, levando em conta que é de uma autora jovem, e no início o leitor pode até achar os acontecimentos meio nonsense e rápidos demais, mas com o desenrolar da trama tudo vai se encaixando e Amanda consegue, finalmente, nos prender em sua narrativa, adicionando uma pitada de mitologia e, claro, caudas de verdade!

>> Onde comprar:

• “Sereia” – Pesquisei nas livrarias Cultura, Saraiva, Fnac e Submarino e em todos estava esgotado.
• “Encanto” – Saraiva  * Cultura  * Fnac
• “Profundezas” – Saraiva  * Cultura  * Fnac
• “Despertar” – Saraiva  * Cultura  * Submarino  * Fnac
• “Canção do Mar” – Saraiva  * Cultura * Submarino

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

A saga “Watersong” também inclui um quarto conto que relata acontecimentos que sucederam o primeiro livro. Se chama “Forgotten Lyrics”, em inglês, e só é vendido em versão online.

As capas norte-americanas dos dois últimos livros da série e do e-book Forgotten Lyrics.

As capas norte-americanas dos dois últimos livros da série e do e-book Forgotten Lyrics.

Entrei em contato com a editora responsável pelos livros da série Watersong e infelizmente eles ainda não tem previsão de lançamento dos dois últimos livros :( Mas enquanto a gente espera, podemos acalmar a ansiedade assistindo aos lindos book trailers da saga (todos estão disponíveis no site oficial da autora).

Beijos, Camila





Camila Gomes





gravatar
Ana
outubro 11th, 2014 às 1:30 am

1

Eu sou apaixonada por Watersong <3
Preciso terminar de ler outros livros que estão na frente (O Sangue do Olimpo, O Guia do Mochileiro das Galáxias…) para comprar o Canção do Mar.
Eu me desinteressei por Sereia (a saga) quando você falou 'não tem cauda', fiquei meio congelada, pensando "Oe? Alguém da F5, acho que bugguei."
Watersong, até onde li, é quase mitologicamento perfeito. A autora resolveu juntar os dois tipos de sereias (sirenas e "nereidas"), mesmo sendo fã da mitologia grega/romana, não tem como não se apaixonar pela saga.

gravatar
yanny
setembro 28th, 2015 às 1:20 pm

2

quando que vai lançar essa série?

3

[…] mais radicais de sereias. Isso aconteceu comigo na série “Sereia”, de Tricia Rayburn (resenha aqui!). A propósito, no início foi impossível não remeter uma história a outra, pois nas duas as […]

4

[…] pode ser observada em livros. É o caso do “A Sereia”, da Kiera Cass, e das séries “Sereia” e “Watersong”, da Tricia Rayburn e Amanda Hocking, respectivamente. Em inglês, eles falam sobre sirenas, porém ao chegar no Brasil traduziram tudo […]